fbpx

2 Maneiras de pensar visualmente para análise de dados: Conceitual e Data-Driven

 

Neste artigo, o dataholic Gabriel Carvalho aborda sobre dois caminhos para pensar visualmente para análise de dados.

 

No meu último post “Aprenda a pensar visualmente” falei um pouco da importância do pensamento visual na hora de preparar uma visualização de dados.

Se você ainda não viu, dá uma olhadinha: APRENDA A PENSAR VISUALMENTE (dataside.com.br)

Com isso resolvi explorar melhor o conceito de pensamento visual para análise de dados e como podemos usar isso no nosso no dia a dia. Vamos lá:

Recentemente estava lendo um livro chamado “Good Chart” do autor Scott Berinato, editor sênior na Harvard Business Review. Ele descreve uma maneira muito interessante de apresentar informações, inicialmente respondendo a duas perguntas iniciais:

1. A informação é conceitual ou baseada em dados?

2. Estou declarando algo ou explorando algo?

Obs: Nesse post foquei em responder a primeira pergunta 😊

 

CONCEITUAL OU BASEADA EM DADOS

 

O que essas duas palavrinhas querem dizer?

 

As informações do tipo conceitual têm o significado de apresentar uma ideia e tem o objetivo de simplificar o conceito de algo. Por exemplo, conceito de funil de vendas de acordo com Rock Content:

 

“O funil de vendas, também chamado de pipeline, é um modelo estratégico que mostra a jornada do cliente do primeiro contato com a sua empresa até a concretização da venda — em alguns casos, além dela. Em outras palavras, ele é uma representação do caminho que o cliente faz até fechar a compra. Um processo que consiste em conduzir ou acompanhar o seu cliente a partir do momento em que ele toma conhecimento de uma solução vendida pela sua empresa até o fechamento do negócio”.

E geralmente esse conceito é traduzido da seguinte forma:

 
Temos aqui uma visualização conceitual. Basicamente é trazer o conceito de algo para o formato visual, facilitando a leitura e entendimento.
 

Já a informação do tipo Baseada em dados é o tipo de apresentação que estamos acostumados a fazer, baseada em estatística e tem o objetivo de informa algo (Qual foi meu faturamento no mês passado? Quantos produtos eu vendi no ano passado?).

 

E esse tipo de informação é representada usando gráficos como na imagem abaixo:

 

E qual o sentido de saber se a informação que você está querendo apresentar é conceitual ou baseada em dados? Como isso pode me ajudar?

 

Algumas vezes um gráfico baseado em dados assume uma forma conceitual e vice-versa, e é nesse momento que o pensamento visual faz toda a diferença e exige muita criatividade sua. Vamos pegar o exemplo do funil de vendas.

 

O gerente de marketing quer saber como está o desempenho de determinada campanha e ele tem como indicadores as etapas do funil de vendas:

  • Visitas

  • Leads

  • Oportunidades

  • Clientes

Você provavelmente escolheria esse tipo de visual para apresentar essa informação né? rsrs

 

É mais intuitivo, fácil, além de ser uma visualização padrão no Power BI, concordo plenamente!! Porém, podemos fazer da visualização de dados algo mais conceitual, juntando as duas coisas e gerar uma entrega totalmente personalizada, única e didática.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Conseguiu entender a importância do conceito por trás dos dados? A análise de dados e o conceito das informações andam juntos.

 

Se você gostou, deixe seu comentário para a gente saber e compartilhar mais conteúdos como esse!! Abraços 😊

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts recentes